terça-feira, 13 de março de 2018

FIM

OUTROS BLOGUES DO CONCELHO

CONTINUA NOUTRO BLOGUE

OUTRO 1

BLOGUES


OUTRO 2

BLOGUES

SEGADORES

Os segadores vinham em ranchos à procura de trabalho e, a partir de meados de Junho, aguardavam pela manhã, sentados nos passeios e nos bancos das ruas do centro da vila, a chegada dos lavradores e dos grandes proprietários que os vinham contratar para as ceifas. A origem dos segadores era muito variada: aos transmontanos juntavam-se minhotos, galegos, beirões e durienses.
Esses ranchos eram maioritariamente constituídos por homens e rapazes, mas também apareciam algumas mulheres.
Os segadores eram trabalhadores rurais assalariados que apareciam no concelho de Macedo, com foice e gadanha, prontos para ceifar, sobretudo o trigo e o centeio. Chamava-se segador, não apenas aos que ceifavam, mas também a todos os que os acompanhavam, fossem eles as mulheres, os filhos (rapazes ou raparigas) ou os idosos, aos quais eram atribuídas tarefas como as de apanhar o cereal ceifado, atá-lo em molhos e carregá-lo, ou ir à água, ao vinho, ou ir buscar a comida.
Para o final daquela manifestação cultural e etnográfica, a organização promete uma tradicional merenda da ceifa.

As segadas - Castanheira - Chaves - Trás-os-Montes e As malhadas do trigo e do centeio

As segadas - Castanheira - Chaves - Trás-os-Montes

Os segadores no fim da ceifa.

O grupo de segadores ao entrar na povoação.

Atenção clique nos links assinalados a amarelo e vermelho


Sugerimos a leitura de um texto sobre "As segadas", 

de António da Eira, onde também se fala sobre as 

actividades depois das segadas e sobre as acarrejas. 

Poderão, ainda, conhecer algumas "Cantigas da segada".

Malhada do trigo ou centeio, antigamente


Foto retirada de: "O Douro", Manuel Monteiro

Sugerimos leitura de texto: "As malhadas", de 

António da Eira, in "Velhas Canções Transmontanas"


etnografiaemimagens.blogspot.pt

sexta-feira, 28 de julho de 2017

O MOURÃO OU A PÉLA

JOGO TRADICIONAL 
 O MOURÃO OU A PÉLA 
DESENVOLVIMENTO:
 COLOCA - SE O MOURÃO NA POSIÇÃO VERTICAL (OU PODE-SE SUBSTITUIR POR UM BANCO DEITADO). UMA EQUIPA (A) FICA ATRÁS DA LINHA HORIZONTAL QUE PASSA PELO MOURÃO E A OUTRA (B) POSICIONA-SE NO CAMPO EM FRENTE. UM ELEMENTO DA EQUIPA A LANÇA A BOLA À MAIOR DISTÂNCIA POSSÍVEL (AGARRA NELA COM UMA MÃO, DEIXA-A CAIR NA VERTICAL E, QUANDO SE ENCONTRA TOTALMENTE NO AR LANÇA-A COM A OUTRA). SE A EQUIPA B A APANHAR ANTES DE TOCAR NO CHÃO GANHA TRÊS PONTOS.
CASO CONTRÁRIO, NO LUGAR ONDE PÁRA A BOLA, TRAÇA UMA LINHA PARALELA AO MOURÃO, COLOCA-SE DE FRENTE PARA O MESMO E, ROLANDO COM A BOLA PELO CHÃO, TENTA BATER NELE. SE CONSEGUIR GANHA TRÊS PONTOS.
NESTAS DUAS SITUAÇÕES (APANHAR A BOLA NO AR OU ACERTAR NO MOURÃO) O ELEMENTO DA EQUIPA A TERMINA OS ARREMESSOS E ESTES PASSAM A SER FEITOS PELO OUTRO. SE A BOLA NÃO BATER NO MOURÃO, A EQUIPA A GANHA UM PONTO E O JOGADOR CONTINUA A ARREMESSOS ATÉ SE VERIFICAR UMA DAS DUAS SITUAÇÕES ANTERIORES. TROCAM-SE , AS POSIÇÕES APÓS SE VERIFICAR A INTERVENÇÃO DE TODOS OS JOGADORES DA EQUIPA A. O JOGO TERMINA LOGO QUE UMA EQUIPA ATINJA O NÚMERO DE PONTOS ESTABELECIDO


                                                                       
DESENHO GRÁFICO


FESTAS DE HONRA DO MÁRTIR SÃO SEBASTIÃO, 2017,